Categories
FIQUE POR DENTRO

Vinícius Farah defende ampliar faixa etária para acesso à mamografia

Indicações propõem exames pelo SUS a partir dos 35 anos

O deputado Vinicius Farah voltou a insistir que o Ministério da Saúde atenda a uma indicação sua prevendo a revisão da idade de 40 anos para 35 anos para autorização do exame clínico de mamografia na rede pública em todo o país. A incidência de casos abaixo dos 40 anos é de cerca de 6 mil ao ano, mas de acordo com especialistas e estudos, a doença acomete as mulheres abaixo de 40 anos de forma mais agressiva. 

“Neste Dia Nacional da Mamografia, destacamos que são quatro milhões de mamografias pelo SUS em média no país por ano, mas é preciso ampliar muito a quantidade de exames e abranger uma faixa etária ainda maior”, afirma Vinicius Farah apontando que o diagnóstico precoce garante a cura para 98% das mulheres acometidas pela doença.


O câncer de mama é o mais incidente em mulheres de todas as regiões no país. São estimados 66.280 casos novos por ano, o que representa uma taxa de incidência de 43,74 casos para cada grupo de  100 mil mulheres.

O diagnóstico de câncer de mama em mulheres com menos de 40 anos, representa em torno de 10% de todos os casos registrados, ou seja, cerca de 6 mil por ano.  Uma pesquisa com 2.950 mulheres, no entanto, mostrou que daquelas que tinham menos de 40 anos, 36,9% estavam no estágio 3 da doença, considerado localmente avançado.

O estudo foi conduzido pelo Grupo Latino-Americano de Oncologia Cooperativa organização não governamental que reúne 147 pesquisadores de 70 instituições, juntamente com o Grupo Brasileiro de Estudos do Câncer de Mama e apoio do Instituto Avon, ONG associada à Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) em São Paulo.  O trabalho começou em 2016 e as participantes serão acompanhadas até o final de 2021 para avaliação de tratamentos, cirurgias, possível retorno da doença e taxa de sobrevida.

A prevenção ao câncer de mama para o parlamentar deve ser assunto para todos os dias. “Datas comemorativas nos fazem reforçar essa luta, que precisa ser diária porque salva vidas. As mulheres são o centro dos núcleos familiares sempre, independente de renda ou qualquer outro critério. Quanto mais cedo o câncer de mama é detectado e curado, essa família é preservada como um todo”, defende Vinícius Farah.